6 grandes hairstylists e suas academias essenciais para profissionais da beleza

09/08/2016 | web

Por trás das academias mais famosas do mundo estão nomes poderosos da coiffure. Conheça cabeleireiros visionários que, literalmente, fizeram escola graças a seus estilos únicos e suas técnicas revolucionárias.

1
O NOME: Louis Alexandre Albert Raimon

ensino-de-grife-alexandre-de-paris-1

À esquerda, Alexandre penteia sua grande amiga Elizabeth Taylor. No centro e à direita, a fachada e o interior da escola

 

Nascido em 1922, em Saint-Tropez, na Riviera Francesa, Alexandre foi discípulo do famoso cabeleireiro Antoine. Na década de 1950, ele deixou sua terra natal para trabalhar em Paris, onde abriu seu primeiro salão. Logo começou a atender as mulheres mais chiques da sociedade local e a ser convidado para frequentar festas badaladas. De tanta proximidade com nobres e estrelas de cinema, ficou amigo de várias beldades, entre elas, Elizabeth Taylor. Aliás, aquele Chanel com franja que a atriz usou no filme Cleópatra foi concebido pelo coiffeur. Alexandre, considerado um papa na execução de penteados, também gostava de elaborar enfeites para suas criações. Essa iniciativa virou negócio e até hoje a grife Alexandre de Paris comercializa presilhas, tiaras e elásticos feitos artesanalmente em acetato.

A ESCOLA: Académie Alexandre de Paris

ensino-de-grife-alexandre-de-paris-2

Escolhido como sucessor de Monsieur Alexandre, o cabeleireiro Michel Dervyn adquiriu o salão do mestre em 1990 e até hoje comanda a marca. Foi ele quem criou a Académie Alexandre de Paris, em 2007. Perpetuar o estilo inigualável do Príncipe da Coiffure é o objetivo da escola, que ensina técnicas elaboradas de penteado e tem foco na excelência e no luxo. Hairstylists do mundo inteiro buscam especialização em cursos como “Amor pela Matéria”, “Domínio das Formas”, “Precisão dos Gestos”, “Inteligência Manual”, “A Coiffure Sublime” e “Cumplicidade Criativa”. Em 2010, o instituto foi eleito como Melhor Academia do Mundo, graças a seu método pedagógico. Clique aqui para saber mais.

2
OS NOMES: Toni e Guy Mascolo

ensino-de-grife-toni-e-guy-1

A fachada da academia Toni&Guy em Londres e os irmãos Toni e Guy Mascolo

O menino Toni sonhava ser advogado. Mas quando a família Mascolo deixou a Itália para tentar vida nova em Londres, ele teve de abandonar os estudos e trabalhar como assistente do pai, o cabeleireiro Francesco. Logo o garoto tomou gosto pelas tesouras, e aos 16 anos já atuava como gerente do salão Gerard’s, localizado ao sul da capital inglesa. Coube, então, ao irmão mais novo, Guy, ajudar Francesco a atender sua clientela no badalado Renato’s. Toni e Guy abririam o próprio estabelecimento em 1963. Adolescentes, eles haviam acabado de perder a mãe e precisavam ajudar o pai a criar os três irmãos caçulas. O mais novo, Anthony, tinha apenas cinco anos de idade na época. A dupla não demorou a chamar atenção e foi pioneira em oferecer serviços unissex, mostrando total sintonia com a revolução de costumes que se iniciava. Inovação, aliás, sempre foi uma filosofia da empresa, que cresceu exponencialmente na década de 1980, graças a um sistema de franquias que hoje contabiliza 475 unidades do salão Toni&Guy pelo planeta. Toni é, atualmente, o CEO da empresa. Guy faleceu prematuramente em 2009, após um ataque do coração.

A ESCOLA: Toni&Guy

ensino-de-grife-toni-e-guy-2

Cortes geométricos e cores audaciosas fazem o estilo da marca

 

Nos anos 1970, Bruno e Anthony se juntaram aos irmãos mais velhos, focando seu trabalho em editoriais para revistas. Isso divulgou o estilo da marca não só na Grã-Bretanha, mas também no restante da Europa, e fez com que profissionais de vários lugares quisessem aprender a técnica fashion e feminina criada pelos Mascolo. Estes, por sua vez, passaram a difundi-la por meio de shows, workshops e videoaulas e, em 1984, finalmente abriram as portas de sua primeira academia, em Londres (atualmente são 17 unidades em diversos países). Não demorou para que o método Toni&Guy se tornasse um diferencial no currículo dos cabeleireiros que desejavam brilhar na profissão. Hoje, mais de 100 mil hairstylists participam anualmente dos cursos, seminários e jornadas educativas da grife em todo o planeta. A parte educacional é comandada pela diretora criativa global Sacha Mascolo-Tarbuck, filha de Toni. O programa de estudos contempla lições para iniciantes e experts, e aborda temas como fundamentos de corte e cor, coloração e corte criativos, homens, avant-garde e, ainda, produção de fotos. Há também a Toni&Guy Business Academy, voltada para gestão de negócios e carreira. Clique aqui para saber mais. 

3
O NOME: Lluís Llongueras

ensino-de-grife-llongueras1

Lluís posa com uma de suas esculturas e como amigo Salvador Dalí

 

Poeta, escritor, fotógrafo, pintor, desenhista, escultor e… cabeleireiro! LLuís Llongueras nasceu em 1936, em Esparreguera, na Catalunha, e ainda criança já mostrava seus múltiplos talentos. Em 1959, depois de estudar contabilidade, economia e administração de empresas, e de cumprir o serviço militar, começou a atender como hairstylist em domicílio. Rompendo com o tradicional look parisiense, desenvolveu seu próprio estilo de penteados e apresentou suas criações para a imprensa, tornando-se conhecido em toda a Espanha. Em 1960, a agência Europa Press comprou fotos e desenhos assinados pelo artista e então deu-se início à expansão internacional de sua marca. O primeiro salão de luxo da grife foi inaugurado em Barcelona, 12 meses mais tarde, com a presença do amigo Salvador Dalí, que também se tornaria cliente da unidade aberta em Paris, em 1974. Nesse mesmo ano, Llongueras criou o famoso corte Contrapelo, no qual o cabelo é inteiro levado para frente e aparado de uma única vez para então cair em camadas assimétricas e cheias de movimento. Nas décadas seguintes, o estilista exibiu suas criações capilares em centenas de palcos pelo mundo. Já nas galerias de arte, expôs fotografias, esculturas, pinturas, ilustrações… Também lançou livros de poesia e de coiffure e recebeu dezenas de premiações e medalhas que celebram todas as formas de arte que pratica.

A ESCOLA: Institut Llongueras International

ensino-de-grife-llongueras

Inaugurado em 1971, em Barcelona, o Instituto Llongueras Internacional recebe profissionais de todo o planeta, ávidos por aprender a técnica que privilegia o caimento natural das madeixas e a praticidade. Há, ainda, uma unidade da academia na Argentina, além de salões da grife espalhados por Espanha, Argentina, Chile, Portugal, Itália, Japão, Suíça, República Dominicana e Uruguai. Entre as opções de cursos estão Penteados, Estilos Comerciais, Masculinos, Top Fashion e Método Llongueras, que foca nos fios assimétricos característicos da marca. De acordo com Lluís, o visual despenteado já nasce com o corte: “Se você deixa as mechas muito certinhas, o efeito é duro, sem leveza ou naturalidade”. Clique aqui para saber mais. 

4
OS NOMES: John Paul DeJoria e Paul Mitchell

ensino-de-grife-paul-michell-1

John Paul DeJoria e Paul Mitchell. No centro, John com os alunos da Academia e a sede.

 

Empreendedor por natureza, John Paul DeJoria vendia cartões de natal na vizinhança onde morava, em Los Angeles, com apenas 9 anos de idade. Na juventude, foi vendedor de enciclopédias e chegou a morar na rua em uma época de dificuldades. Em 1971, trabalhando na comercialização de itens para o cabelo, conheceu Paul Mitchell, cabeleireiro inglês que com apenas 18 anos já havia ganhado diversos prêmios e cujo currículo incluía os salões de Vidal Sassoon em Londres e Nova York. Os dois ficaram muito amigos e, em 1980, criaram juntos a marca John Paul Mitchell, com um investimento inicial de US$ 700 e apenas três produtos. Não demorou para os xampus e cremes fazerem sucesso, sobretudo aqueles com o ativo awapuhi, um tipo de gengibre amargo que até hoje a companhia cultiva e colhe de maneira sustentável no Havaí. Paul, considerado um mestre do hairstyling, faleceu em 1989. John ficou tomando conta dos negócios e tem a seu lado, atualmente, Angus Mitchell, que seguiu os passos do pai, é formado pela Vidal Sassoon Academy e desde 1998 é o principal educador da Paul Mitchell.

A ESCOLA: Paul Mitchell Schools

ensino-de-grife-paul-michell

A educação da marca nasceu junto com a linha de cosméticos. John e Paul logo viram a necessidade de formar cabeleireiros e montaram um time de educadores que incluía Winn Claybaugh, um dos melhores palestrantes motivacionais e especialista em negócios dos Estados Unidos. Em workshops e seminários ministrados por todo o país, o grupo ajudou a formar gerações de hairstylists. No ano 2000,Winn, John Paul e Angus fundaram a Paul Mitchell Schools, cujas várias unidades oferecem cursos profissionalizantes em cosmetologia (incluindo cor e corte de cabelos), barbearia, estética e unhas, além de treinamento para aqueles que desejam se tornar professores na área de beleza. Há, ainda, a Paul Mitchell Advanced Academy, voltada aos profissionais mais experientes e que mantém programas de corte, cor, styling e maquiagem. Clique aqui para saber mais.  

5
O NOME: Vidal Sassoon

ensino-de-grife-vidal-sassoon1

A sede da Sassoon Academy em Londres e o jovem Sassoon mostra sua arte.

 

O jovem inglês de origem judaica conheceu as tesouras no salão do badalado Raymond Bessone, primeiro cabeleireiro a se tornar celebridade na Grã-Bretanha. Essa experiência, de acordo com o próprio Sassoon, foi fundamental para que ele se tornasse um profissional de ponta. Inquieto, o hairstylist desejava criar algo original e elaborar cortes que livrassem as mulheres da ditadura do spray. Usando linhas retas, reinventou o bob cut e nunca mais deixou de inovar. Acabou desenvolvendo um método fundamentado na geometria e nas formas orgânicas. Trata-se de um estilo em que a precisão é indispensável, mas a textura do cabelo e seu caimento são protagonistas. Entre os visuais icônicos criados pelo expert está o curtíssimo que a atriz Mia Farrow usou no filme O Bebê de Rosemary. Vidal Sassoon faleceu em maio de 2012, por causa de uma leucemia, em Los Angeles.

A ESCOLA: Sassoon Academy

ensino-de-grife-vidal-sassoon

Os visuais da última coleção: linhas geométricas e muita cor

 

Ter um diploma com a label Sassoon é sonho de consumo dos cabeleireiros mundo afora. Não é para menos. Afinal, a academia, criada nos anos 1970, tem por missão manter o legado de um dos maiores hairstylists de todos os tempos. Com unidades no Reino Unido, Canadá, nos Estados Unidos e na Alemanha, a instituição oferece cursos de corte, cor e pós-graduação para profissionais de qualquer nível técnico, do iniciante ao avançado. A formação para aqueles que estão começando dura 24 ou 30 semanas. Há vários treinamentos e o mais top, chamado International Masters, inclui aulas com Mark Hayes, diretor artístico por trás de todas as coleções sazonais da grife. Essas turmas têm, no máximo, cinco alunos por professor e o programa permite mergulhar profundamente no universo inspiracional e educacional da Sassoon. Clique aqui para saber mais.

6
O NOME: Jacques Dessange

ensino-de-grife-dessange

À esquerda, Monsieur Dessange em ação e antes de se aposentar (no detalhe) e a academia

 

O mestre francês, que completou 90 anos em dezembro de 2015, é o criador do look coiffé-décoiffé, ou “penteado-despenteado”. Deixar as mulheres deslumbrantes, mas com naturalidade, era o cerne de seu trabalho e, ao longo do tempo, Jacques construiu um estilo glamouroso e atemporal. Em 1949, já era responsável por produzir as modelos da Maison Dior. Seu primeiro salão na capital francesa abriu as portas em 1954, na chiquérrima Avenida Franklin Roosevelt. Luxo, aliás, sempre foi sua marca registrada, fazendo com que o expert se tornasse o queridinho das atrizes de cinema. Em 1960, ele até foi nomeado parceiro oficial do Festival de Cannes. Sua rede de salões se expandiu nos anos 1970, graças a um estruturado sistema de franquias. Hoje o grupo tem 400 unidades Dessange em 40 países, incluindo uma no Barra Shopping, no Rio de Janeiro, e também detém as grifes Camille Albane e Fantastic Sams.

A ESCOLA: Dessange International Education Centre

ensino-de-grife-dessange1

Visuais da coleção de 2013

 

O primeiro centro de formação da rede foi inaugurado em Paris, em 1979, e tinha por objetivo oferecer treinamento de excelência para os colaboradores que atuavam na empresa. Afinal, com tantos salões sendo abertos mundo afora, era essencial manter a qualidade absoluta dos serviços. Até hoje, essa premissa é válida, mas a expertise Dessange também pode ser absorvida por profissionais de fora da companhia. Dessa forma, cabeleireiros de todo o planeta vão em busca do savoir-faire francês em cursos ministrados na academia da Rue du Rocher, no coração de Paris. Aulas de corte, cor, styling e penteados levam os alunos a conhecer em profundidade o estilo luxuoso da marca. Clique aqui para saber mais. 


Texto: Cristiane Dantas (ediçãoo de web: Patricia Santos)
Fotos: divulgação