7 coisas que você precisa saber sobre cabeleiras acinzentadas

08/07/2015 | Patricia Santos

As cabeleiras acinzentadas viraram o jogo: deixaram de ser exclusividade do charme masculino e agora exibem sua beleza nas cabeças das clientes antenadas. Quer virar um expert no assunto? Nós respondemos a todas suas dúvidas aqui!

Caso você ainda tenha dúvida de que, sim, as mulheres ficam lindas com a cabeça branquinha, veja só como a lista de celebrities grisalhas daqui e do exterior não para de crescer: Helen Mirren, Diane Keaton, Jamie Lee Curtis, Cássia Kiss e Vera Holtz, todas se sentem o máximo assumindo que o tempo passou com estilo, claro! Essa tendência, na realidade, começou forte mesmo depois que a musa-diva-vitaminada Meryl Streep apareceu assim no filme O Diabo Veste Prada, lembra? 

Então preste atenção nessas informações esseciais:

1. Por que a cabeleira envelhece? 
“Antigamente, as mulheres começavam a notar os primeiro fios brancos por volta dos 35 anos. Hoje em dia, algumas pessoas com 25 anos percebem a sua presença”, aponta a dermatologista e tricologista Angélica Pimenta (SP). Ela explica que, com o passar dos anos, a produção de melanina, proteína produzida pelos melanócitos e responsável pela coloração natural dos cabelos, diminui progressivamente. “Porém, a idade não é o único responsável. Hereditariedade, estresse, anemia, diabetes, hipertireoidismo, doenças infecciosas e psicológicas e alimentação pobre em ácido fólico e vitamina B12 são alguns dos fatores que também contribuem para o seu aparecimento”, conta a médica.


Meryl Streep

2. Por que o fio branco é mais rebelde?
Além da alteração na cor, eles passam por mudanças na sua estrutura e são alvos de constantes reclamações, já que se tornam indisciplinados. Isso acontece justamente por conta da ausência da melanina. “Além de doar cor, ela também contribui na elasticidade e maleabilidade. Na sua ausência, os espaços são preenchidos pela queratina, componente naturalmente mais rígido que a melanina, o que contribui para que os cabelos brancos fiquem mais grossos e sem brilho”, explica Alberto Keidi Kurebayashi, farmacêutico bioquímico e presidente da Associação Brasileira de Cosmetologia.


Jamie Lee Curtis

3. E a aparência ressecada?
Além da mudança na cor, a estrutura também passa por alterações, fazendo com que o cabelo precise cada vez mais de cuidados redobrados. “Com apoptose, ou seja, a morte da célula responsável pela melanina, a cabeleira fica mais ressecada, perde a elasticidade e o brilho.” Outro afetado é o couro cabeludo, que reduz a produção de óleos naturais que servem para proteger, e o bulbo capilar, responsável pelo afinamento da fibra, que pode levar à quebra.


Diane Keaton

4. Como segurar a onda com estilo?
Cada vez mais, assumir os fios brancos tem se tornado uma mudança de comportamento na ala feminina, já que, por muito tempo, apenas os homens eram vistos com charme por conservar os grisalhos. “Eu apoio muito essas mulheres! Sinto que elas estão indo em busca dessa libertação da coloração e quebrando conceitos velhos. Essa tendência está relacionada à naturalidade e ao bem-estar”, reflete Eron Araújo, hairdresser e dono do Blend Your Mind (SP). Mas não se engane: não é porque a cliente abrirá mão da tintura e seus retoques que deixará de investir na beleza e saúde da cabeleira no salão. “Isso está associado a um estilo arrojado e moderno para que sua aparência não fique com um ar envelhecido ou descuidado”, aponta Thony Rodrigues, cabeleireiro do Jacques Janine Itaim (SP).


Cássia Kiss

5. Como evitar o amarelamento?
Uma das queixas mais comuns é o tom amarelo que os fios ganham. Com a perda da melanina, eles se tornam mais porosos e suscetíveis a danos. “O sol é o principal vilão, assim como o uso constante de secador ou chapinha”, aponta Angélica. Outro inimigo é o cigarro, que também ativa a produção de radicais livres. “Esses oxidantes agridem o bulbo capilar e interferem em seu formato e na estrutura, que se torna mais grossa”, aponta o farmacêutico especialista em cosmetologia, Lucas Portilho. Por se tratar da ausência de uma das principais proteínas para a saúde do cabelo, Eron sugere tratamentos com proteína, que conferem sedosidade, brilho e reduzem a aspereza. Além disso, é preciso adotar xampus e condicionadores violáceos semanalmente. “O uso de produtos desamareladores não remove o pigmento amarelo da fibra, ele apenas anula o amarelado”, ensina Lucas. Para as suas clientes, Eron indica a linha True Hue, da Senscience. “Além de não ser cumulativa, ela leva proteína na fórmula”. Para completar o ritual de cuidados, Angélica ensina: “Mais do que nunca, aconselhe sempre o uso de protetor solar capilar”.


Helen Mirren

6. E no período de transição?
Essa fase não precisa ser um bicho de sete cabeças para a sua cliente. Muitas pensam que para ter o visual uniforme é preciso esperar a raiz crescer a fim de ter a cabeleira cinza por igual. “Sugiro luzes bem fininhas e tento clarear o máximo possível. Em seguida, platino para chegar na tonalidade da raiz do cabelo”, propõe Eron. A mesma ideia é compartilhada por Luiz Togoe Silva, do Studio W Iguatemi (SP). “Os reflexos devem ser bastante delicados, com mechas que suavizem a área de crescimento.” Já para aquelas que não querem lançar mão da química, Thony afirma que o corte próximo dos fios naturais é uma opção radical, mas que pode ter um resultado incrível. “Uma boa dica é apostar em um comprimento mais curto, que vai valorizar o grisalho, além de deixá-lo deslumbrante.”


Vera Holtz

7. Como mantê-los bonitos?
Para que sua cliente esteja com a cabeleira sempre macia, observe os ativos que você oferecerá a ela. Isso faz a diferença. “Para compensar a perda de matéria, tratamentos à base de ácido hialurônico preenchem a fibra e deixam o cabelo mais forte”, propõe Eron. Mas atenção ao uso da proteína: “Ela deve ser usada com cuidado, pois, em excesso, pode aumentar a rigidez do fio”, aponta Luiz. Outro ingrediente importante são os lipídios, que deixam de ser produzidos pelas glândulas do couro cabeludo. “Eles dão maior emoliência à fibra.” Para a manutenção da cor, os protocolos matizantes são os mais indicados. “Ofereço a cada dez dias para eliminar o amarelo e realçar as nuances prateadas. Também é essencial fazer hidratação semanalmente com máscara”, aconselha Thony. No home care, indique o uso de produtos ricos nesses ativos também. “Oriente-a a seguir suas dicas para que haja uma relação com o que é feito no salão”, aconselha Luiz.

 


Tags: