7 lições de sucesso para aplicar na loja do salão agora

06/08/2015 | Patricia Santos

Aprenda com a grife Salvatore Ferragamo como fazer do ato da compra um prazer sem precedentes pasa sua clientela. A Cabelos&cia visitou uma das lojas da empresa, na cidade italiana de Florença, e acompanhou todo o percurso do luxo, que termina em uma venda feliz para ambas as partes. Acredite, é inspirador! 

1. Vitrine aberta
O ser humano, em especial as mulheres, “compra com as mãos”. Parece piada, não é? Mas todo mundo quer pegar o objeto de desejo antes de consumi-lo. Quando gostamos de um sapato ou de uma bolsa, o primeiro ato instintivo é tocar. Por que seria diferente com a loja do salão? Manter os cosméticos acessíveis quebra a barreira de ter de pedir ajuda logo de cara ou de olhar 30 produtos antes de levar apenas um. Nos estabelecimentos da grife, os itens ficam dispostos para que a clientela possa realmente interagir com eles. Impossível não se deixar apaixonar por tanta coisa bonita disponível. Além disso, o open concept da arquitetura ajuda muito. Prateleiras claras, com espaços amplos entre cada uma delas e utilização de espelhos facilitam a visualização e o acesso.

2. Testar sempre
Quando o assunto é produto de beleza, além de tocar, todo mundo quer cheirar, sentir o toque, ver a embalagem interna. Manter provadores sempre (sempre mesmo!) é essencial. Nas lojas da grife SF, por exemplo, você não só pode desfilar na frente do espelho com echarpes e bolsas, mas é incentivado a borrifar as fragrâncias da marca. Pense bem: você compra perfume sem provar? Nada melhor do que sentir a textura da máscara, do leave-in, do condicionador…

3. Nada de empurra-empurra
O espaço valpatre ouro, certo? Que tal usá-lo da melhor maneira possível? Ninguém está falando em quebrar paredes ou jogar os móveis atuais no lixo, mas sim em repensar a distribuição das coisas. Locais muito entulhados, cheios de enfeites pelos cantos deixam uma sensação de bagunça e falta de profissionalismo. Então, aprenda com os mestres: mantenha à vista apenas o essencial e deixe várias áreas livres para passagem e circulação. 

4. Treino afiado
Todo mundo sabe que mão de obra é problema em qualquer segmento profissional. Por isso mesmo valorizamos tanto um lugar que nos ofereça atendimento de primeira. Para começar, educação. Você pode estar usando jeans, camiseta e tênis que, ao entrar em uma loja Ferragamo, alguém abrirá a porta, desejará bom dia, perguntará se deseja deixar as sacolas em um lugar específico para poder ficar mais à vontade, oferecerá água ou café e por aí vai. Lembre-se: a primeira impressão é a que fica e sentir-se tratado como a realeza é algo inesquecível! Segundo ponto importante: conhecimento de causa! Quando você pede um sapato 37 para provar, a equipe olha o seu pé e consegue dizer se precisa do meio ponto, se a parte da frente é do tipo larga ou estreita, qual o melhor modelo para seu conforto, etc. Com o cabelo não é diferente. A avaliação do que os fios necessitam é indispensável e dá segurança para quem senta na sua cadeira.

5. O processo da compra
Tem coisa mais chata do que alguém querendo empurrar alguma coisa? Você sabe que está acima do peso, que a calça ficou apertada demais e a vendedora, na ânsia do negócio, aparece e diz aos quatro cantos que ficou linda, que é feita para o seu corpo! A compra inicial até pode ocorrer pelo cansaço, pela insistência, por impulso mesmo, mas a fidelização e a recompra dependem da confiança. Quando você pede um sapato para experimentar, por exemplo, e fica na dúvida, o atendente da SF aconselha: vá para casa, pense e volte amanhã. E a pessoa volta! Então, se a sua cliente não tem certeza da cristalização, mostre as vantagens, sugira uma hidratação simples e deixe que ela decida.

6. A hora do bolso
Quem nunca ficou constrangido ao perguntar o preço de alguma coisa e depois saiu chorando com o rombo no cartão de crédito? Pois a sua cliente não pode (e não precisa!) passar por isso. Na SF, quando alguém escolhe um item, o atendente gentil, discreto e atencioso pergunta se ele não gostaria de saber quanto custa e se não ficaria confortável com uma opção mais barata e com outra mais cara para avaliar melhor a compra. Sensacional, certo? Pois então, que tal deixar uma área para mostrar o que pretende fazer no ritual de beleza e aproveitar para explicar os valores envolvidos?

7. Muito mais do que a compra
Pagou, tchau! Nananinanão! Ao pagar por um item, você recebe explicações sobre como guardar, limpar e acondicioná-lo. Use como inspiração e passe alguns minutos repassando com a sua cliente como ela deve usar os produtos que comprou para manter os resultados do salão em casa. Ao contrário do que possa parecer, ela não vai abandonar o profissional do coração e fazer sozinha, ela voltará querendo aprender cada vez mais.

Por Deise Garcia (edição web: Patricia Santos). 
Fotos: Divulgação

LEIA TAMBÉM: 

* 5 TÉCNICAS PARA SER UM MESTRE DA CRIAÇÃO
* ESPECIAL: NOVOS RUMOS DA EDUCAÇÃO DE BELEZA NO BRASIL – PARTE 1
* PIVOT POINT APRESENTA CURSO FOCADO NA CLIENTELA MASCULINA

 


Tags: