Cronograma capilar personalizado: aprenda como fazer

07/11/2018 | Redação

Aprenda como identificar as necessidades do cabelo da sua cliente e impulsione seu atendimento

O cronograma capilar ganhou destaque entre os serviços oferecidos nos salões de beleza, tornando-se queridinho durante o delicado período de transição do cabelos com alisamento para os naturais.

Mas essa agenda de protocolos personalizada não é indicada apenas para cabelos em transição. “Cabelos submetidos a processos químicos, poluição, tabagismo, calor de secador e chapinha, sol, praia e outros agressores são beneficiados com esses tratamentos, pois reestruturam a fibra e reparam fissuras”, comenta a tricologista Mabe Gouveia, da Clínica Valéria Marcondes (SP).

Quanto tempo dura o cronograma capilar?

Segundo a cabeleireira Rita Paixão, do Lefil Salon (SP), o cronograma capilar tem duração aproximada de quatro semanas, mas esse tempo pode variar de uma pessoa para outra. “É importante lembrar que cada cabeleira merece uma análise para chegarmos ao diagnóstico ideal. Sendo assim, há casos em que o tratamento leva mais do que quatro semanas e outros em que o tempo é menor. Tudo depende do grau do dano”, ressalta.

Confira a seguir a função de cada tratamento na rotina de cuidados com o cabelo.

Cronograma capilar – HIDRATAÇÃO

Devolve água à fibra, garantindo flexibilidade, maciez e balanço. É indicada para fios ressecados e com frizz. Entre os principais ativos para esse protocolo: vitamina B5 (pantenol), aloe vera, gérmen de trigo, ácido hialurônico, algas marinhas, etc.

Cronograma capilar – NUTRIÇÃO

“Repõe os lipídios, que são a camada de lubrificação e proteção necessária para evitar a perda de nutrientes da fibra e, consequentemente, a quebra”, explica Pollyana Lima, coordenadora da P’lattélli, de Florianópolis. Vale apostar em fórmulas com óleos vegetais (argan, coco, oliva, karité, macadâmia, abacate, etc.), ricos em ácidos graxos, vitaminas A, E e F e ômegas 3, 6 e 9.

Cronograma capilar – RECONSTRUÇÃO

“Restabelece componentes fundamentais presentes na superfície e na parte interna da fibra capilar, como a queratina (proteína que compõe 90% da fibra). Sem eles, os fios se rompem em atos simples como lavar ou escovar”, explica Pollyana. Indicado para cabelo quebradiço, fino ou poroso, submetido a processos químicos, exposição ao sol, secador e prancha. Produtos com proteínas e aminoácidos ajudam na reconstrução.

Qual o intervalo ideal entre os tratamentos?

“Vai depender de como se encontra o cabelo. Um normal precisará mais de hidratação e nutrição, que podem ser até três sessões semanais (intercaladas), e uma reconstrução por mês, mas seria indicada a avaliação de um especialista para verificar a real necessidade”, explica a farmacêutica Mika Yamaguchi, da Biotec Dermocosméticos.

Quando os resultados não são vistos, provavelmente tem a ver com o intervalo em que a reconstrução está sendo feita. Mika explica que se a proteína, como a queratina, é reposta em excesso, isso pode provocar queda e piorar o quadro, por isso a indicação de uma a duas vezes (no caso dos mais danificados) por mês.

 

TEXTO: Françoise Gregório

FOTOS: Freepik