Concursos de cabeleireiro: aprenda como se preparar para eles

23/01/2019 | Redação

O hairstylist Márcio Carvalho, que já participou de mais de 12 concursos, entre eles o último International Trend Vision Awards, de Wella Professionals, dá dicas de como se preparar

No primeiro contato com o hairstylist de 38 anos, já percebemos que não falta a ele a paixão pelo seu trabalho. Os primeiros passos no mundo das tesouras e das cores se deu ao lado do irmão. Vendo que tinha talento de sobra, resolveu trilhar o próprio caminho. Abriu o seu espaço e não parou mais de crescer. Hoje o Studio Márcio Carvalho é referência na região quando falamos sobre o mundo da beauté. Para fechar 2018 com muito estilo, ele representou o Brasil no International Trend Vision Awards, premiação de Wella Professionals, em Lisboa. Questionado sobre qual é o segredo do seu sucesso, ele é rápido: “O amor pela profissão”.

Como foi seu início no mundo da beauté?
Meu irmão, Umberto Carvalho, resolveu abrir um salão em casa. E eu ficava encantado vendo como as mulheres saíam de lá felizes. Resolvi começar a trabalhar com ele e me matriculei no curso de auxiliar de cabeleireiro da Fundação Antônio de Carvalho (FAC). Foi um período ótimo da minha vida, aprendi muita coisa, como fazer uma boa escova e maquiagem. Depois saí e comecei a atender as minhas próprias clientes

Teve alguém que o inspirou?
Em primeiro lugar, meu irmão, que me deu a primeira oportunidade de trabalhar com esse mundo da beleza. Depois Maurício Pina, que atua em São Paulo, e o russo Dmitry Vinokurov, que foi meu mentor este ano em Lisboa, durante o ITVA.

Márcio e o visual criado para a edição nacional do Trend Vision Award 2018, realizado em Comandatuba, na Bahia.

De onde vem o pique para participar de tantos concursos?
Vem do amor pela profissão! Não tenha dúvidas disso! O dia a dia do salão é aquela coisa mais do comercial, do atender (e bem) as clientes. Mas é no concurso que eu encontro a superação do meu próprio limite. É que vem a arte de criar e acreditar que aquilo é possível ser feito. É confiar que vai dar certo, é colocar para fora o meu viés artístico.

E qual foi o primeiro?
Foi o VitaDerm, realizado na Baixada [Rio de Janeiro], em 2004. Fui confiante que poderia conquistar até o quarto lugar, já estaria satisfeito. Mas acabei vencendo! Foi incrível, inesquecível. O primeiro sempre tem um sabor especial.

De todos, qual foi o mais especial?
Acho que foi o do Trend Vision, em Madri, na Espanha, em 2012, quando fui finalista na categoria melhor coloração. Já estava tentando há anos ir para a final dessa premiação. Estava quase desistindo [risos]. Até que consegui e fiquei muito feliz! Neste ano, participei da final de novo, na mesma categoria, só que a premiação aconteceu em Lisboa.

Márcio (à esquerda) com o time que venceu a categoria GHD Queen Maker, do International Trend Vision Award, em Lisboa, Portugal

Qual sua mensagem para quem pensa em participar de um prêmio?
Perseverança, sempre. Posso dizer: nunca desista do seu sonho. É entender que tudo acontece na vida no momento certo, que realmente tem que acontecer. Não adianta a gente querer colocar as coisas à frente do tempo. Nesses concursos, aprendi muito a dominar a técnica no momento exato, a ousar no melhor momento, a ter equilíbrio porque as coisas dão certo.

Orgulha-se de sua caminhada?
Com certeza! Vejo que valeu a pena cada renúncia para poder superar os obstáculos e chegar até aqui. Em alguns momentos pensei que não daria certo, que eu não conseguiria, quase desisti. Mas busquei forças, persisti, continuei em frente e consegui! É aquilo que falo: a gente não deve nunca deixar de acreditar nos nossos sonhos. Venci e amadureci.

Leia a matéria completa na edição de janeiro da Cabelos&cia!

Texto: Márcio Gomes

Edição: Monique Abrantes

Fotos: Denise Lima e divulgação