Ale de Souza conta como virou amigo das famosas

O expert tem 313 mil seguidores no Instagram e assina a beleza das celebs da TV

06/10/2017 | Camila Miranda

Não pense que a fama caiu do céu. Ale de Souza trabalhou em fábricas, foi bancário, produtor  e galgou, passo a passo, o seu objetivo: ficar na área da beleza.

Com humildade, começou aos poucos. Foi assistente de grandes profissionais e ficava fascinado em aprender com eles. Os pés sempre estiveram bem fincados no chão e se a presunção começava a dar sinais, sua mãe o trazia para a realidade.

Hoje, é grato a ela. “Se existe uma verdade, é que tudo é passageiro, por isso a vaidade deve ser controlada”, diz.

Aos 47 anos, Ale de Souza é requisitado não só por famosas, mas também por publicidade e na caracterização em TV. A seguir, ele conta para a Cabelos&cia como chegou no auge da carreira.

Juliana Paes também é cliente do expert (Foto: reprodução/ Instagram)

Como começou na área?

Ale de Souza: Aos 22 anos, pedi demissão e montei um salão, em sociedade com uma amiga. Não deu certo.

Como eu prestava serviços para uma agência especializada em modelos negras, conheci um fotógrafo e comecei a trabalhar com ele em uma empresa de maquiadores. Passei a fazer assistência ao André Sartori, nos muitos filmes para a marca C&A.

Ele foi uma pessoa que me ajudou muito durante um período da minha vida. Mas ela acabou fechando e me vi de novo na rua da amargura.

E como você foi parar na TV?

Em 1999, a Rede TV ia inaugurar e estavam fazendo testes. Passei e fui ser apoio no programa SuperPop, de Adriane Galisteu. Ao gravar um deles, a Fernanda Lima, que estava filmando o piloto de seu Interligado, foi entrevistada. Eu já havia trabalhado muito com ela como modelo e, nesse dia, ela me convidou para fazer a beleza dela para sua apresentação. Tornou-se uma parceria que dura até hoje, mais de 17 anos. Atualmente, eu a acompanho em todos os eventos, até no exterior.

O expert com a musa da nossa edição de agosto, Isabelle Drummond (Foto: Reprodução/ Instagram)

Foi quando a carreira decolou?

Sim, a Fernanda Lima se tornou uma estrela. Quando saiu da Rede TV, foi para a MTV fazer o Fica Comigo. Sempre foi muito generosa e me chamava para os trabalhos. Comecei a conhecer grandes fotógrafos, stylists e a fechar novas parcerias. A raiz de tudo isso é a apresentadora, a quem sou extremamente grato por todo o apoio que me deu na vida. É a minha fada madrinha.

E seu trabalho na Globo?

Vim parar no Rio e na emissora por causa dela também. Meu primeiro trabalho foi em 2005, quando ela substituiu a Angélica, durante a licença-maternidade do Vídeo Game. Depois veio a caracterização da novela Bang-Bang, no mesmo ano. Nessa época, conheci o Ricardo Waddington, que passou a me chamar para fazer suas produções. De lá para cá foram muitas, como Pé na Jaca, Joia Rara, Cordel Encantado [premiado como melhor caracterização], A Favorita, Avenida Brasil, Regra do Jogo, séries como Por Toda a Minha Vida e agora o programa Amor & Sexo. Em paralelo, continuei fazendo moda, publicidade e fotografia.

A mudança para o Rio abriu as portas?

Foi até arriscada. Relutei bastante, porque amo São Paulo, mas acho que foi sim um divisor de águas na minha vida. Vim numa época em que não existiam muitos bons profissionais de beleza e acabei pegando esse nicho.

Ale de Souza e a apresentadora Angélica (Foto: Reprodução/ Instagram)

Como é sua relação com as famosas?

Tenho pessoas que gostam de estar comigo. Sou muito grato e me considero abençoado por ser merecedor da confiança de tantas meninas bacanas. Mas meu ofício é aquele que faço. Não me sinto dono de ninguém e acho normal elas trocarem de profissionais. A estrela ali é ela. É o brilho dela que reflete em mim e no meu trabalho.

 

Texto- Fátima Telles

Edição para web- Camila Miranda

Fotos- Virna Santólia