Como prevenir e tratar a caspa?

09/03/2018 | Katia Deutner

A dermatologista Natalia Cymrot explica como prevenir e tratar a caspa. Banhos quentes, consumo de comida gordurosa e estresse são alguns agentes que provocam o problema

Esse é um problema sério e precisa ser bem observado. Como prevenir e tratar a caspa? Ela surge com a baixa umidade do ar, o chuveiro quente e o consumo de comida gordurosa somados. Some-se a isso o estresse e você tem o aparecimento de descamação no couro cabeludo. É a famosa caspa. “Recebe o nome de dermatite seborreica e conta com a participação de um fungo chamado de Pityrosporum ovale. A caspa não é um tipo de micose. É uma inflamação crônica com a ação de um fungo oportunista”, explica a dermatologista Natalia Cymrot. Ela é mestre em dermatologia pelo Hospital das Clínicas de São Paulo e especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia.

 

Como prevenir e tratar a caspa

Evitando o problema

Como acontece com a acne, a maior atividade das glândulas sebáceas ocorre sob a ação dos hormônios androgênicos. Por isso, o início dos sintomas da dermatite seborreica ocorre geralmente após a puberdade. A caspa não é contagiosa, sendo necessária uma predisposição para que seja desencadeada. Ela é caracterizada por coceiras, vermelhidão, descamação e liberação de flocos de cor branca a amarelada e algumas vezes, mau cheiro na região afetada. As características da doença são a produção de oleosidade, descamação e coceira. A caspa ocorre predominantemente no couro cabeludo, mas também pode surgir na região da barba, pálpebras, sobrancelhas e nas orelhas”, diz a dermatologista.

A dermatite seborréica tem caráter crônico, com tendência a períodos de melhora e de piora, acometendo tanto homens quanto mulheres e é uma das principais queixas nos consultórios dermatológicos. A doença não tem cura, mas pode ser controlada. No consultório, os médicos dermatologistas indicam cremes, loções, xampus a base de antifúngicos.

Como prevenir e tratar a caspa

Para prevenir e tratar a caspa, é preciso mudar algumas atitudes do dia-a-dia, como:

– Abandone os bonés e chapéus.

– Não durma com o cabelo molhado e preso.

– Secadores devem ser utilizados com distância de 20cm do couro cabeludo.

– Diminua a temperatura do chuveiro.

– Cremes e condicionadores, máscaras capilares só devem ser aplicados nas pontas.

– Melhore a alimentação evitando comida gordurosa.

– Consuma mais fibras e beba mais líquidos (água e sucos naturais).

– Opte por xampus que contenham ácido salicílico, cetoconasol, ciclopirox e Pt de zinco.

“É muito importante que as pessoas não se automediquem. Quem sofre com os sintomas da dermatite seborreica deve procurar a orientação de um dermatologista, o tratamento, acompanhado por um especialista é simples e muito eficiente”, finaliza a dermatologista.

Fotos: Shutterstock