Quebrei, e agora? Como dar a volta por cima e recuperar um negócio

10/01/2019 | Redação

Saiba como aprender com erros e reconstruir seu empreendimento com sucesso

Segundo o levantamento Causas Mortis, feito pelo Sebrae-SP com quase 2 mil empresas, a falta de planejamento prévio, de comportamento empreendedor e de uma gestão empresarial são as principais razões para o fracasso de um negócio.

Se você passou por essa situação, sabe bem do que estamos falando. Mas apesar das dificuldades, vale a pena recomeçar. Abrir um novo salão? Por que não? A regra agora é aprender com os erros e não desanimar.

Aprendizado em prática

Por que você fechou o seu salão? Quais foram os erros que levaram a isso? A estudiosa Dani Venâncio, doutora em administração de empresas pela Universidade Federal de Santa Catarina e proprietária da rede Fuzz Cabeleireiros, em Florianópolis, sugere pistas para ajudá-lo a chegar a boas conclusões: “Você não entendia de finanças e se perdeu na gestão do dinheiro? Não treinou a sua equipe o suficiente para tê-la como parceira? Não investiu em divulgação? É preciso identificar as falhas para promover a mudança”.

Rodrigo Lima, diretor criativo à frente do Circus Hair, badalado salão paulistano, sabe bem o que é aprender com as experiências. Ele deixou duas sociedades em busca de uma empresa que fosse a sua cara. Nasceu o Circus. “Temos que entender quais são os nossos pontos fracos e que precisam ser melhorados no negócio que abriremos. Não tenho medo de recomeçar, de fazer cursos nas áreas que não domino, de perguntar para quem está na estrada há mais tempo e de conhecer outros negócios inspiradores”, comenta o cabeleireiro.

Planejamento para o futuro

Há gestores que concluem que o negócio não vale a pena, ou motivos como doença na família e problemas com os sócios bastam para encerrar a empresa. Mas é a falta de grana que coloca o gestor em um beco sem saída.

E uma pergunta importante para refletir é: lá atrás, quando o salão começou a dar sinais de que as coisas não estavam bem, o que foi feito? Segundo Dani Venâncio, é importante avaliar por que faltou dinheiro. “O preço praticado talvez não fosse adequado para aquele estabelecimento ou faltaram ações para atrair mais clientes a fim de bancar os gastos e garantir o faturamento, por exemplo”, diz a especialista. Lição aprendida, é hora de planejar a nova empresa para evitar surpresas no futuro. Por isso, é preciso ter claro:

• o capital de giro necessário para abrir o novo salão e a quantia que será investida nos seis primeiros meses, pelo menos;

• o perfil do seu futuro cliente e quais são os seus hábitos de consumo;

• a melhor localização para o seu negócio;

• os diferenciais oferecidos pela concorrência (quais são os salões que vão concorrer diretamente com o seu? Por que os clientes gostam deles?);

• como ter uma equipe qualificada e parceira;

• os melhores fornecedores;

• as leis que regem o setor;

• a identidade, o DNA, da sua marca.

A vez do empreendedor

Gerir bem significa acompanhar rigorosamente as despesas e as receitas e o que elas significam no fechamento do mês; saber precificar e promover ações de divulgação que atraiam a clientela; estar sempre perto da equipe, atento às suas demandas e investindo em capacitação; e jamais deixar de aperfeiçoar produtos e serviços.

“Às vezes, é melhor atender um cliente a menos por dia e ter mais tempo para se dedicar à rotina administrativa do que se dedicar apenas aos fregueses. Atualmente, um movimento grande não é garantia de contas pagas e faturamento no azul. É impossível uma empresa prosperar sem cuidar da sua gestão”, alerta a especialista Dani Venâncio.

Caminhos para recomeçar

Rodrigo Lima, diretor criativo do Circus Hair, em São Paulo, dá um passo a passo para você se tornar um empresário bem-sucedido. Deixe as tesouras de lado e pratique!

• Procure atualizar-se continuamente para adquirir novos conhecimentos, habilidades, técnicas e melhorar o desempenho da sua empresa.

• Use o diálogo a seu favor. Converse com amigos, pessoas da área e de outros segmentos. Na maioria das vezes, surgem boas ideias que você pode implementar em um futuro negócio ou mesmo adaptá-las à sua realidade.

• Aposte nas parcerias. É muito bom fazer negócios que tragam benefícios tanto para você quanto para o seu parceiro. “Você não se sentirá tão sozinho nessa caminhada e, muitas vezes, o parceiro irá ajudá-lo nas áreas que não são o seu forte. No segmento da beleza, há possibilidades de todo tipo, começando pelas marcas de produtos”, sugere Rodrigo Lima.

• Não tenha medo dos números. Muitas vezes, eles revelam uma dura realidade, mas sem essa informação clara você pode perder dinheiro por causa de coisas pequenas. Analise e tenha os dados claros para poder negociar, conversar com a equipe e fazer o negócio crescer.

Texto: Ana Carolina Carvalho
Edição: Monique Abrantes
Fotos: Shutterstock e divulgação