Como agem os ativos antiquebra em cada região do cabelo

26/08/2015 | Patricia Santos

Sônia Corazza explica como as substâncias podem ajudar a prevenir e remediar o problema quando usadas corretamente
 
“Existem diversas opções de fórmulas no mercado de beleza capazes de solucionar uma das maiores tragédias para qualquer cabeleira: a perda de fios como consequência do rompimento das fibras, ou seja, a famosa quebra. 
 
Mas você sabe como esses princípios ativos agem sobre o cabelo? Antes de escolher que tipo de produto usar ou indicar para a sua cliente, é preciso saber em qual parte da estrutura capilar ele atua: nos fios, no bulbo ou no couro cabeludo. A seguir, identifico quais substâncias atuam em cada região:
 
Nos fios
São dois grupos de substâncias:
 
1. Os que retêm a água natural do fio de cabelo. Aqui entram os silicones e lipídeos vegetais, ou seja, os óleos e manteigas extraídos de frutos ricos em propriedades hidratantes como abacate, karité, argan, damasco, entre outros. 


Estes ativos formam uma espécie de filme superficial sobre o fio, que evita a perda da umidade, mantendo a flexibilidade do cabelo e protegendo-o da quebra. Estes tormam-se indispensáveis em procedimentos que geralmente resultam na quebra mecânica (penteados), térmica (chapinha, secador, babyliss) e química (coloração, alisamento, descoloração).

2. Ativos que reestruturam a cutícula capilar e fortalecem o fio que podem ser divididos em:
– Aminoácidos – alanina, asparagina, cisteína, glicina, glutamina, prolina, arginina, fenilalanina, lisina, serina, metionina, entre outros
– Ceramidas
– Peptídeos
– Proteínas hidrolisadas.
Esses, por sua vez, são fundamentais em produtos indicados para o pós-tratamento químico, principalmente quando ocorre a perda de massa capilar após colorações, descolorações e alisamentos.
 
No couro cabeludo


Estes ingredientes são vaso-dilatadores periféricos que estimulam a circulação sanguínea na região  e favorecem a alimentação do bulbo capilar, mantendo-o vitalizado. Os mais eficazes são a capsaicina e nicotinamida, indicados principalmente em produtos para o tratamento de fios submetidos a processos químicos. 

É bom falar também do ácido salicílico, que evita a descamação do couro cabeludo e melhora a qualidade do fio, tratando de disfunções decorrentes de alisamentos e escovas progressivas.
 
No bulbo capilar

São substâncias que estimulam a boa formação do fio de cabelo desde a raiz, além de estimular seu crescimento e preservar sua resistência. O destaque aqui são o pantotenato de cálcio e os derivados do ácido madecassóico. Esses ajudam a recuperar a estrutura da fibra extremamente fragilizada em consequência da repetição de procedimentos mais agressivos, principalmente alisamentos e luzes.
Pronto! Agora que você já sabe como os ativos atuam, é só procura-los nas suas marcas de confiança.”

 

Sonia Corazza é Engenheira Química e atua como Pesquisadora Científica adjunta especializada em Cosmetologia, trabalhando há quase 40 anos na área, como formuladora de produtos e linhas de sucesso em empresas líderes no segmento como a Natura, Avon, P&G, Lever e Boticário.
Autora de vários livros na área, entre estes Beleza Inteligente (Ed. Madras), Aromacologia – Uma Ciência de Muitos Cheiros (Ed. Senac) e Mais Jovem a Cada Dia (Ed. Prestígio), atualmente pesquisa os aromas da  flora brasileira e sua aplicação para os cuidados da pele e cabelo. Articulista permanente de revistas como Cosméticos&Perfumes, Household& Cosmetics e Atualidade Cosmética, também dirige os sites www.belezainteligente.com.br e www.soniacorazza.com.br. Entrou para o Hall da Fama em 2014, prêmio 
concedido a profissionais que dedicam a vida ao desenvolvimento da área cosmética no Brasil.

 

LEIA TAMBÉM: 

* 9 LIÇÕES INDISPENSÁVEIS PARA ACERTAR NOS CUIDADOS DOS CARACÓIS DA CLIENTELA
* 11 ATIVOS DE ÓLEOS CAPILARES E SEUS BENEFÍCIOS PARA OS FIOS
* HAIRSTYLIST APONTA A MELHOR ESCOVA PARA CADA TIPO DE MODELAGEM