Saiba resolver os principais problemas da clientela masculina

07/10/2016 | Camila Miranda

TOP 1 das reclamações

Cerca de 60% das pessoas que procuram o Instituto do Cabelo, uma clínica médica de recuperação capilar em São Paulo, são homens. E a queixa de 95% deles é a queda excessiva de fios. “Estatisticamente, a cada dez casos de calvície, oito têm origem genética”, detalha o médico tricologista Luciano Barsanti, diretor do instituto. Além da hereditariedade, o problema apresenta outros desencadeadores, como dieta desequilibrada, alterações da glândula tireoide, ansiedade, uso de anabolizantes e de certos medicamentos (os antidepressivos, por exemplo), período de pós-cirurgia extensa, como na redução de estômago, quimioterapia, entre outros.

Hair stylist atento
O profissional de beleza tem um papel fundamental nessa hora, pois nem sempre a pessoa percebe que os fios está minguando, principalmente quando o cabelo é comprido ou crespo. “Na maioria das vezes, é o cabeleireiro quem encaminha o paciente para o médico, pois percebeu alguma diferença, como fios mais ralos ou a presença de entradas”, comenta Luciano Barsanti. Durante o tratamento, a união de peeling, eletroestímulos, laser e medicamentos fitoterápicos de uso tópico traz ótimos resultados.

Alerta vermelho
Analise a cabeça do cliente e, caso veja um dos sintomas abaixo, sugira que procure um médico:

Outros incômodos
A caspa e a oleosidade excessiva integram o ranking das queixas masculina e costumam piorar no inverno pelo uso de água quente e secador. “Na verdade, a caspa é um sintoma da dermatite seborreica. Esta, por sua vez, é uma doença hereditária que resulta da produção exagerada das glândulas sebáceas, localizadas junto ao bulbo capilar. O sebo vai se depositando, causando inflamação e levando ao prurido e à descamação”, explica o médico tricologista. O fungo Pityrosporum ovale pode integrar o quadro. Ter uma alimentação errada, deixar a cabeça constantemente abafada por toucas e bonés e manusear demais os cabelos também agravam o problema.

shutterstock_

Como resolver
“Em certos casos, como a caspa, às vezes o próprio profissional consegue solucionar. Mas se for algum problema de queda, como a alopecia, por exemplo, é essencial indicar um médico tricologista que irá indicar o tratamento correto”, considera o hair stylist Tony Morais, da Bio Extratus. Portanto, caso perceba a presença de alguma anomalia, recomende ao cliente que procure avaliação médica. E evite procedimentos químicos, como alisamentos e colorações, além do uso de produtos oleosos no couro cabeludo e água muito quente.

 

Texto- Annamaria Aglio (edição de web- Camila Miranda)

Fotos- Divulgação

 


Patrocínio