Efeito tartaruga

06/04/2015 | Patricia Santos

Quatro hairstylists dão dicas para conseguir o efeito de luzes que está fazendo a cabeça das celebridades

Depois da febre do ombré hair que fez a cabeça de mulheres mundo afora, especialmente aqui no Brasil (quem nunca?), o mais novo hit dos salões é um tipo muito especial de mechas: o chamado efeito tartaruga, ou tortoiseshell effect hair, nome original.

Mas se você acha que vai ver cabeleireiras esverdeadas por aí, pode se acalmar. Pense, por exemplo, no cabelo da top das tops, Gisele Bündchen, uma das primeiras adeptas do estilo.

Como?
“A técnica nada mais  é do que uma mescla de tons que variam entre castanho, c  hocolate, mel, marrom e dourado”, explica o hairstylist Ítalo Saliccio, do My Way Espaço da Beleza (SP). “Para criar o efeito, mistura-se três tons, em média, espalhando por toda a cabeça. Assim, o resultado é muito mais abundante”, completa Samuel Jabes, do Glass Hair & Esthetic (SP).

Derley Silva, cabeleireiro na rede Studio W, diz que o trabalho deve ser feito desde a raiz, mas de forma mais suave, descendo em degradê para as pontas, que é onde concentram-se os tons mais claros. “Algumas mechas são realizadas em pontos estratégicos para dar mais luminosidade ao rosto, como na parte frontal e ao redor da face”, revela.

Quais as vantagens?
Segundo os experts, a técnica dispensa retoques globais. “Ou seja, é possível aproveitar as luzes antigas e mesclar novos tons para criar uma cor com personalidade”, diz Samuel Jabes. “O resultado é um cabelo com mais emoção, graças ao efeito de luz e sombra, principalmente em loiros”, ressalta o hairstylist Charles Veyiga. 
Versátil, o efeito tartaruga é indicado para todo tipo de cabelo. “É preciso, apenas, observar o tom de pele para combinar os tons que serão usados”, conta Derley Silva.

Quem já aderiu?
Além de Gisele Bündchen, Alessandra Ambrósio, Jennifer Aniston, Jéssica Alba, Sophia Vergara, Jessica Biel e Chrissy Teigen se renderam ao efeito. Confira a nossa galeria e inspire-se.