Elogio à diversidade

23/01/2014 | Patricia Santos

Andrew Solomon tornou-se mundialmente conhecido em 2002, com O demônio do meio-dia. Lançado no Brasil pela Objetiva, o livro aborda a depressão de forma contundente e profunda, “de dentro para fora”. Agora, ele retorna às livrarias com outra obra de impacto. Longe da árvore – Pais, filhos e a busca da identidade fala basicamente de estranhamento, diferença e tolerância.  O título da obra é uma alusão ao ditado popular que diz que “o fruto nunca cai longe da árvore”. Na prática, porém, não é exatamente assim. Não raro, membros de uma mesma família se desconhecem e agarram-se à fantasia de se tornarem seres simbióticos, continuidades uns dos outros, parecidos – quem sabe  iguais, sem suspeitar do peso que poderia advir dessa situação. Afinal, um bebê passa a ocupar lugar numa família e no imagin&a


Tags: