Especial Educação: fabricantes de cosméticos investem cada vez mais em ensino profissional

14/08/2015 | Patricia Santos

Na terceira e última parte do nosso Especial sobre os novos rumos da educação de beleza no Brasil, você confere iniciativas da indústria comética em prol do ensino profissional. Cada vez mais empresas investem em escolas e academias próprias. Conheça algumas dessas iniciativas que inclui o novíssimo Instituto Cabelos&cia!

EDUCAÇÃO DE GRIFE


A Hair School Business associou-se à OMC, uma das maiores organizações de hairstylists do mundo

Você já ouviu falar na palavra “parceria”, que significa uma colaboração entre “duas ou mais partes com vista a realizar um objetivo comum”. No mundo da beauté, as empresas têm buscado essa meta ao incentivar a educação em um setor tão carente de conhecimento. Com isso, querem criar clientes mais exigentes na escolha de produtos. É a evolução educacional profissional. Assim, as marcas encontram nas academias parceiras que podem mudar os rumos da beleza no País. Como? Disponibilizando apoio e seu know-how para formar uma geração de cabeleireiros ainda mais poderosos. Selecionamos alguns exemplos bem-sucedidos que espelham essa tendência que, felizmente, veio para ficar.


A procura pela HSB é tanta que a escola abriu franquias pelo País

Escola de negócios
“Entendemos que a escassez educacional torna o homem vulnerável em muitos aspectos. No ambiente empresarial, isso é condição obrigatória para sobrevivência das organizações”, diz Edson Borgo, presidente da E-Cosmetics. É com essa visão que o fabricante investiu, há seis anos, na Hair School Business, uma academia de negócios voltada para cabeleireiros em Teixeira de Freitas, na Bahia, e já graduou mais de 6 mil alunos. “Na Itália e na França, por exemplo, há uma obrigatoriedade de diploma e os melhores cursos de formação têm duração média de três a quatro anos. Essa é nossa referência”, afirma. “A proposta é facilitar o acesso aos cursos extensivos de capacitação, com duração de três anos”, conta. “Nosso objetivo é formar mais de 150 mil profissionais”, diz. Para ter sua própria unidade, o candidato deve preencher um formulário no www.academiahsb.com.brO investimento é de R$ 40 mil.


Material didático em uma das duas salas de 100 metros cada

Diploma internacional
Segundo Edson, o diferencial da HSB está na metodologia que desenvolveu. “Nas aulas, os professores abordam tópicos como administração, finanças, marketing, colorimetria, tricologia, química capilar, entre outros”, afirma. No início, eles pesquisaram o perfil de alunos e o seu grau de conhecimento sobre tarefas rotineiras de um salão, faturamento médio e gestão de pessoas. A partir daí, ajustaram o modelo educacional até chegarem ao sistema de ensino atual. “Nos associamos à OMC (Organisation Mondialle de la Coiffeure), a maior organização de hairstylists do mundo, que está presente em mais de 70 países desde 1949. Nossos alunos recebem um diploma reconhecido internacionalmente, chancelado pela OMC”, revela.

FOCO NA PRÁTICA


Fachada da academia Mahx, da grife Kenwee Professional

São José do Rio Preto é uma cidade de 400 mil habitantes a 400 km de São Paulo, onde se localiza o centro técnico da Kenwee Professional, marca com 10 anos que pertence à empresária Marly Naves. Apesar de existirem outras escolas na cidade, ela notou a carência de conhecimento. “Decidimos investir em uma instituição de qualidade”, lembra. Após a decisão, foram três meses até surgir a Mahx, em outubro do ano passado.“Em sete meses, já formamos mais de 200 pessoas nos cursos rápidos e a primeira turma de cabeleireiros”, conta.

A metodologia prega 10% de teoria (com aulas e provas) e 90% de prática. “Adotamos o sistema que funciona como se o estudante estivesse no salão”, explica. Para isso, os aprendizes praticam em modelos humanos e não em bonecas. E fazem estágio no próprio instituto. Quando o aluno termina as aulas, ele ganha um contrato de 14 horas na matéria que tiver mais dificuldade, frequentando o lugar nos dias e horários que puder, sem pagar taxa. “A maior vitória é saber que estamos levando o conhecimento aos nossos colegas”, finaliza. Para a Kenwee, é uma espécie de fidelização, já que os cabeleireiros saem da escola conhecendo todos os seus produtos.

CAMINHO INVERSO


Jailson ministrando o curso engenharia de cortes

O hairstylist Jailson Alexandre montou primeiro a sua academia, a Tribus Pro Hair Academy, e somente oito anos depois inaugurou a marca de mesmo nome – na época, ambas se chamavam Voilà Pro. Tudo começou em 2000, quando ele viajou para Paris, onde fez aulas na Toni&Guy, Jacques Dessange e Jean Claude Beguine. “Na Beguine, descobri uma linguagem universal na criação dos cortes de cabelos.” Ao retornar ao Brasil, ele decidiu criar Engenharia de Cortes. Era o início da Tribus Pro Hair Academy. “Cerca de 90% dos brasileiros aprendem somente a prática. Em 2000, não existiam academias e sim escolas que até hoje ainda ensinam um método arcaico que deixa de lado a técnica”, defende o docente. 

Desde o início, Jailson viaja pelo País com o curso que o tornou conhecido, com duração de dois dias. “Em outras palavras, ensinamos o cabeleireiro a ler e escrever aquilo que ele já fazia na prática e, a partir disso, ele não será mais um imitador, mas um criador do seu próprio estilo de haircut”, explica. A marca veio somente em 2008, com o objetivo de unir técnica e produtos às necessidades dos profissionais. Hoje, 15 anos depois, a academia e a empresa têm sede em Alphaville, Barueri, em São Paulo, e oferece diversos tipos de cursos. Porém, seguem com agenda em outros Estados brasileiros. “Fazemos uma combinação perfeita de profissional educado e preparado para esse mercado tão crescente no mundo inteiro”, finaliza.

EDUCAÇÃO NOTA MIL 


A colorista máster Gi Quintino, que ministrou o curso Blond Expert pelo Instituto Cabelos&cia

Uma construção moderna, localizada na charmosa Vila Madalena, em São Paulo, abriga a nova divisão da revista Cabelos&cia responsável por cursos, workshops, palestras e debates, presenciais e virtuais, voltados para o setor da beleza. Segundo André Castro, diretor executivo da Casa Educação, existe uma lacuna no mercado que será preenchida pelo Instituto Cabelos&cia. “Oferecemos aulas práticas e que proporcionam aos participantes uma experiência, de fato, transformadora. Uma educação de alto impacto profissional ”, resume ele, afirmando que a procura tem sido extremamente satisfatória. “Medimos isso pelos depoimentos de quem já participou e também pelo alto índice de recompra”, garante. A Casa Educação fica na Rua Paulistânia, 551. Veja mais no site: www.casaeducacao.com.br.


A poucos metros do metrô Vila Madalena, o espaço conta com salas confortáveis, recursos audiovisuais e rede Wi-Fi

Texto: Annamaria Aglio e Geiza Martins (edição de web: Patricia Santos)
Fotos: Gustavo Morita (Instituto Cabelos&cia) e Divulgação
 

LEIA MAIS SOBRE EDUCAÇÃO: 

* ESPECIAL: NOVOS RUMOS DA EDUCAÇÃO DE BELEZA NO BRASIL – PARTE 1
* ESPECIAL EDUCAÇÃO: PROGRAMAS QUE UNEM APRENDIZADO E AÇÕES SOCIAIS 
* 5 TÉCNICAS PARA SER UM MESTRE DA CRIAÇÃO

 


Tags: