Micropigmentação aumenta lucro do salão. Confira dicas de especialistas

26/10/2016 | Patricia Santos

Em tempos de crise econômica, é normal que os clientes comecem a diminuir a frequência com que vão ao salão. O jeito é correr atrás de promoções e serviços especializados para atrair mais pessoas e oferecer mais opções para quem já está do lado de dentro, e consequentemente estimular maior investimento.

Uma das formas de aumentar o tíquete-médio é incluir o serviço de micropigmentação de sobrancelhas, que tem virado febre nos estabelecimentos de beleza ultimamente. Vale lembrar que ao contrário da antiga “sobrancelha definitiva”, a micro penetra apenas na camada mais superficial da pele e, por isso, precisa ser retocada após um ano da aplicação.

micropigmentacao3

“Antes e depois” do trabalho de micropigmentação

“Com um bom profissional é possível, não só criar um negócio lucrativo paralelo dentro do salão, mas também novas oportunidades para outros serviços. O produto sobrancelha tornou-se um destaque tão importante quanto cabelo e unhas”, diz Ismael Ribeiro, diretor executivo do Centro das Sobrancelhas.

A rede passou a oferecer recentemente a possibilidade de franquia in-house, ou seja, é possível abrir um espaço do Centro das Sobrancelhas dentro de um salão que já existe. Além disso, a marca oferece vários cursos, sendo que o mais procurado é o de micropigmentação esfumada e fio a fio. O curso custa entre R$ 2.000 e R$ 2.500, somando o gasto dos equipamentos (que giram entre R$ 1.500 a R$ 2.000), o investimento total na capacitação fica entre R$ 3.500 e R$ 4.500.

Pelas contas de Ribeiro, cerca de 18 micropigmentações pagam o investimento inicial. “Isso porque não estamos considerando serviços menores, como o design de sobrancelhas ou a aplicação de hena [também abordados no curso]”, analisa. O empresário lembra que esse retorno também depende do quanto será cobrando. No Centro das Sobrancelhas, o valor desse serviço varia de R$ R$ 290 a R$ 520, mas há locais em que passam de R$ 1.000.

Possíveis riscos

Ruth Damaris, sócia-proprietária do Viss Cabeleireiros, acredita que o melhor seria o proprietário do salão se especializar em micropigmentação. “É a única forma de garantir 100% o comprometimento com o seu cliente”, diz. A micro-empresária está em busca de um profissional há alguns meses, pois diz não ter habilidade para ela mesma fazer o serviço.

micropigmentacao2

O investimento na capacitação profissional fica em torno de R$ 4.500,00, que podem ser recuperados ao longo de 18 sessões

Ela revela ainda que prefere deixar de oferecer o serviço enquanto não encontra um profissional em que cofie plenamente. A pesar de a micro ser uma excelente aliada na hora de aumentar o faturamento, ela pode ser sua pior inimiga. “É algo permanente, que fica no meio do rosto da pessoa. Se o cliente não gosta de uma maquiagem, ele lava o rosto, até mesmo o cabelo ela pode prender até crescer, mas a micropigmentção não”, afirma.

É preciso muito cuidado na hora de escolher o profissional e ficar de olho no material que ele usa. “No meu salão, eu uso marcas como Keune e Kérastase. Como vou saber se a tinta usada também é premium?”, diz Ruth.

Como contratar?

Ruth tem sentido falta de um portfólio mais amplo na hora de entrevistar possíveis candidatos. Para ajudar no processo de contratação, Ismael Ribeiro dá cinco dicas para prestar atenção antes de contratar alguém para esse serviço:

micropigmentacao1

Ao contratar, certifique-se de que o profissional segue todas as normas de biossegurança

Além da micropigmentação, muitos profissionais também se especializam em “tatuar” outras partes do corpo, como o contorno da boca e dos olhos, micropuntura (tratamento para rugas e estrias), camuflagem de cicatrizes, reconstrução de aréolas e micropigmentação de couro cabeludo.

 

Fotos: divulgação.