Minha mãe, eu mesmo

31/01/2014 | Patricia Santos

Estudos com ratos mostram que a epigenética pode influenciar o comportamento maternal e esse efeito pode ser transmitido de uma geração para outra agindo somente no cérebro dos filhotes, sem alterar células germinativas. 
Quando os filhotes nascem, os genes envolvidos na regulação das respostas ao estresse são guarnecidos com marcas metil inibidoras, que aumentam a sensibilidade ao estresse. Se os filhotes forem criados por uma mãe tranquila e zelosa, muitos dos grupos metil se diluem, tornando os animais mais calmos.
Ao tornarem-se adultos, esses filhotes também serão pais e mães mais zelosos e tranquilos. Mas se os filhotes forem criados por mães medrosas e passivas seus genes receberão marcas metil e eles se tornarão adultos nervosos e pais negligentes.