Mobiliário para salão dá mais funcionalidade e identidade

02/05/2018 | Redação

Seja em uma reforma ou no momento de montar, a definição do mobiliário para salão é determinante

Mais do que um local que oferece serviços, o salão é considerado para muitas clientes como um refúgio. “O ambiente oferece produtos, serviços e uma experiência, e que tenha ligação com o belo. Por isso a escolha do mobiliário para salão pode colaborar para atender às expectativas da clientela. No caso de um espaço de beleza, além da estética, deve-se pensar no conforto, pois é comum sua associação com relaxamento. O tempo de espera sentada numa cadeira pode ser significativo, como acontece nos procedimentos químicos, por exemplo”, comenta a designer de interiores Juliana Peres (SP), avisando que, antes e durante a compra, é importante observar orçamento, qualidade, funcionalidade e praticidade da peça.

“Identifique os serviços a serem prestados e as necessidades de mobiliário para salão que atenda e agilize um protocolo eficiente, oferecendo boas condições ao profissional e conforto ao cliente”, alerta. Pense ainda na decoração e na proposta do espaço. “Caso não tenha conceito visual, escolha itens com estética limpa, sem muitos detalhes (que não acumulem poeira e cabelos) e que atendam a maioria das pessoas. Valorize móveis bem acabados, duráveis, com manutenção fácil e acabamento que suporte situações de calor e umidade, além de respingos de produtos químicos”, avisa o designer industrial Lúcio André Ravanholi, da Dompel (RS).

Considere uma possível necessidade de ampliação. “Se o negócio evoluir rapidamente, vai precisar de mais espaço. Assim, é sempre bom reservar um pouco a mais de área útil”, comenta o hairstylist Robson Trindade (SP). E o mais importante: aposte em qualidade e boa procedência. Isso evita surpresas desagradáveis com peças que estragam antes de serem pagas. Afinal, tudo dentro do salão tem bastante uso.

Mobiliário para salão dá mais funcionalidade e identidade

Da Ferrante, cadeira Pearl (à esquerda) e poltrona Sea Urchin

 

Cadeiras

A prioridade é a ergonomia. “Foque em medidas amplas e assento com capacidade para atender clientes de diferentes portes físicos. Observe regulagem de altura e escolha hidrâulica, que ao subir ou descer traga conforto para quem está sentado”, sugere o designer industrial. Se puder investir um pouco mais, opte por modelos que tenham apoio para os pés e de cabeça regulável e reclinável.

Conforto e praticidade em segundo lugar. Sente, teste e verifique se a coluna lombar fica apoiada. “Analise apoios de braço com altura confortável e se cabos de secador ou outros acessórios podem enroscar com facilidade. Os desenhos arredondados, sem cantos vivos, são os mais indicados”, orienta. Observe a densidade da espuma do assento. Muito macia e mole tende a durar menos, afinal, o uso contínuo faz ceder. “Revestimentos em tecidos mais sofisticados são usados em estabelecimentos de luxo, obedecendo a uma proposta de elegância. Mas é preciso ficar atento aos riscos de danificá-los com facilidade, na dificuldade de eliminação de manchas e sujeiras. Os mais comuns em salão são os sintéticos e resistentes, como courvin e plastificado”, conta Juliana Peres. Para a sala de espera, você até pode optar por modelos mais econômicos, mas que sejam confortáveis.

Mobiliário para salão dá mais funcionalidade e identidade

Takara Belmont

Carrinhos

Há um modelo para cada necessidade. Alguns têm suportes específicos para determinados procedimentos. Outros, tomadas para deixar aparelhos sempre à mão, ou tigela e espa.os para grampos, entre outros. Observe as gavetas e as rodinhas antes da compra. “Se não deslizar bem ou emperrar e as gavetas não colaborarem, adeus funcionalidade!”, sugere Robson Trindade. Prefira os que sejam úteis para atender de forma rápida e prática.

Mobiliário para salão dá mais funcionalidade e identidade

Modelo Vita Lisboa, Bela Sul

Lavatório

Os de polímero são mais duráveis. Os antigos, de fibra de vidro, têm vida útil mais curta. “Já os de polipropileno, por exemplo, quando bem cuidados, duram de 10 a 20 anos. São resistentes à química e de fácil limpeza”, analisa Lúcio Ravanholi. Não esqueça que ergonomia e medidas adequadas são indispensáveis, afinal, a cliente pode permanecer ali por muito tempo.

Lavatórios muito altos, em que as pessoas se sentam e ficam com as pernas no ar, não são confortáveis. Resolva o problema com apoios, como pufes, que complementam o assento como uma extensão ou com aqueles que a poltrona já conta com uma extensão acoplada. Há modelos que oferecem porta-xampu e condicionador junto à cuba. “Outras opções têm massagem ou cromoterapia para aumentar a sensação de bem-estar da cliente”, lembra o designer industrial. Lavatórios com cubas de porcelanas dão um ar refinado. Já as mais profundas permitem melhor trabalho com fios longos. No mercado estão disponíveis também os portáteis, que podem ser transportados de um lado para outro, desde que tenham um ponto de água próximo.

Mobiliário para salão dá mais funcionalidade e identidade

Modelo Camaleonte, Maletti

Bancadas

São mobiliários para salão fundamentais. “O salão é planejado para os clientes e deve-se ter um lugar para colocar sua bolsa e outros pertences”, afirma Robson Trindade. E devem ser de material resistente e de fácil manutenção. Pedras são ótimas opções. “Peças de polipropileno são resistentes e impermeáveis”, acrescenta Lúcio. Você pode fazer sob medida, mas se o local for alugado e houver perspectiva de mudança, um console pronto e fácil de ser removido pode ser mais vantajoso. “Evite espelhos frágeis, que apresentam manchas em pouco tempo. E fixar é um equívoco, pois não permite a transposição quando houver a necessidade de reorganizar o ambiente”, acrescenta Robson. Consoles com frente dupla ou redondos, que permitem que um profissional trabalhe de cada lado, economizam espaço e conferem uma estética interessante.

 

Texto: Françoise Gregório

Fotos: Divulgação