Problemas de inverno: como driblar os fios ressecados?

04/09/2018 | Redação

Quando a temperatura cai, pode-se iniciar uma verdadeira temporada de ataque à beleza dos fios, facilitada pela baixa umidade do ar, típica do inverno brasileiro. Surgem então os problemas de inverno, como os fios ressecados

Texto: Françoise Gregório

Fotos: Pixabay

Nos dias frios, temos a tendência de usar água quente para lavar o cabelo. O problema é que o banho prolongado em altas temperaturas retira o óleo natural do couro cabeludo, chamado de manto hidrolipídico. Trata-se de uma camada protetora e com função lubrificante. Por isso, sua remoção deixa os fios ressecados e com um aspecto mais áspero.

O mesmo dano também é provocado pelo uso mais frequente de fontes de calor, como secador e prancha. “Para evitar o ressecamento da fibra, o ideal é usar água e equipamentos mornos. Além de produtos que ajudem a fechar as cutículas, com pH mais baixo”, explica a tricologista Mabe Gouveia, da Clínica Valéria Marcondes (SP). Outro fator que também vale considerar é a baixa ingestão de líquidos. “Nesta época é comum que as pessoas bebam menos ao longo do dia, contribuindo para o enfraquecimento dos fios. Cuidar da hidratação interna é importante para a beleza e saúde capilar“, comenta Antônio.

Problemas de inverno: como driblar os fios ressecados? Quando a temperatura cai, pode-se iniciar uma verdadeira temporada de ataque à beleza dos fios, facilitada pela baixa umidade do ar, típica do inverno brasileiro. É quando surgem os problemas de inverno, como os fios ressecados

E o que fazer?

Para a terapeuta capilar Cíntia Araújo, do salão Care Beauty & Soul (RJ), avaliar a condição da fibra desidratada é o primeiro passo para o tratamento adequado. “Acho indispensável verificar a situação da cor, se o couro cabeludo é bem higienizado e se o ressecamento é consequência do uso excessivo de fontes de calor ou processos químicos, por exemplo. Também vale questionar a cliente sobre a possibilidade de o problema ser resultado de distúrbios hormonais ou carência de algum nutriente. Tudo isso deve ser considerado”, comenta.

No tratamento realizado no salão, ela inicia com um peeling no couro cabeludo para preparar o cabelo e equilibrar o pH. “Depois, faço a higienização para abrir as cutículas. Para os dois serviços, utilizo produtos Nioxin. Em seguida, lavo com um xampu hidratante C.P.R., da Sensciense, que oferece um intensivo restaurador, reparando a porosidade das cutículas. Ele devolve a nutrição aos fios severamente ressecados e danificados”, completa.

Ela reforça a importância de orientar sobre a manutenção com xampu, condicionador e leave-in em casa. Além disso, é preciso seguir um tratamento mensal no salão. “Uma dica para tirar maior proveito é a cliente não lavar a cabeça até 48 horas depois. A exceção fica para quem tem couro cabeludo muito oleoso”, explica.