Profissão cabeleireiro: o que fazem os educadores?

19/03/2018 | Katia Deutner

Por trás das marcas estão renomados profissionais com a missão de serem educadores. Ministram aulas, orientam sobre técnicas e produtos, viajam pelo mundo para difundir conhecimento e acompanham o desenvolvimento de colegas de profissão

 

A tarefa dos educadores é um grande desafio. Exige atenção, dedicação, paciência, conhecimento apurado do que está falando e comunicação assertiva. E quando se trata de instruir e representar uma grife, é essencial se identificar e conhecer a fundo a empresa. “Os educadores precisam desenvolver um bom relacionamento com a marca. Acreditar de verdade nos produtos e se fazer presente nos eventos oferecidos”, destaca a hairstylist Jô Nascimento, embaixadora de L’Oréal Professionnel.

Com a experiência de mais de 30 anos como mestre, Jô ressalta que a figura do educador é indispensável para a indústria, que precisa ter certeza de que sua mercadoria chegará na mão dos especialistas com o maior número de informação possível e com a experiência de “cabeleireiro para cabeleireiro”.

Profissão cabeleireiro: o que fazem os educadores?

“O papel dos educadores é fundamental porque o profissional sabe utilizar os produtos, entende as dúvidas, e também na parte de formação. No meu caso, atuo também na área de desenvolvimento dos cosméticos, o que torna o trabalho ainda mais gratificante”, complementa o hairstylist Rodrigo Cintra, consultor técnico e embaixador da Olenka Cosméticos.

Gisele Quintino, colorista e educadora criativa internacional Truss, destaca ainda a importância da atuação na área: “Nós, educadores, somos aqueles em quem o profissional acredita porque atuamos como cabeleireiros e falamos a mesma língua. Nos acham mais capacitados e sentem confiança quando explicamos a aplicabilidade dos produtos, mostramos os resultados e apresentamos novas técnicas. Para a carreira do cabeleireiro, isso nos dá visibilidade e um conhecimento além da bancada do salão. Amo educar! Abrir a mente das pessoas para o novo e ensinar a voar!”, reflete.

Profissão cabeleireiro: o que fazem os educadores?

Afinal, o que fazem os educadores?

A rotina dos educadores é intensa, segundo a expert da Truss. “O trabalho é árduo, mas instigante e surpreendente. O que me alimenta é saber que estou deixando uma marca positiva na vida daqueles que assistem aos meus cursos”, afirma Gisele, que passa a maior parte do tempo viajando, mas sempre fica uma semana por mês na indústria para ministrar cursos internos para equipe técnica e de vendas, e realizar testes necessários ao setor de desenvolvimento de produtos da Truss. “Participo desde o nascimento do cosmético. Tenho a incumbência de apresentar os lançamentos para nossa rede de licenciados, consultores e clientes”, conta a expert.

Assim como Gisele Quintino, da Truss, o hairstylist Renato Fuzz percorre o mundo: “Viajo semanalmente para algum lugar onde há um grupo de pessoas querendo ampliar seu entendimento sobre cabelos. Essas experiências costumam acontecer durante os domingos e às segundas. Costumo ter cinco a seis domingos livres por ano”, revela o embaixador de Wella Professionals.

Além de dar aulas e workshops por todo o Brasil, Jô Nascimento conta que participa de shows para L’Oréal Professionnel. “Atuo também em campanhas para lançamentos de produtos e coleções geralmente preparadas em Paris”, acrescenta.

 

Ensinar outros profissionais

Rodrigo Cintra, que comanda uma equipe de 18 educadores da Olenka, afirma que é gratificante ensinar outros profissionais. “A minha maior alegria é quando volto a uma cidade depois de anos. E percebo que de alguma forma fiz a diferença na trajetória daquelas pessoas que estavam na minha palestra. Eles chegam e falam: ‘Depois do seu curso, a minha vida mudou, abriu meus horizontes’. É uma recompensa pelo trabalho”, emociona-se.

A maior dificuldade dos educadores é o fato de ter que corrigir informações erradas que foram repassadas por outros técnicos. “É diferente ser técnico e educador. O educador ensina o que é certo como manda a cartilha, o manual do cabeleireiro. Assim como em todas as profissões, existem regras. Às vezes, por falta de conhecimento e estudo, elas são quebradas. O que gera danos e perda à saúde dos cabelos e impedindo os produtos de cumprirem seu papel”, detalha Gisele.

Fotos: Shutterstock