Visagismo também para os homens

03/04/2018 | Redação

Ferramenta essencial ao trabalho com a beleza, o visagismo cria uma imagem para expressar a personalidade e também pode ser aplicado no atendimento ao público masculino. Confira!

Certamente você já ouviu falar de visagismo. Mas já pensou em aplicar na barbearia? “As técnicas vão muito além da simples harmonização do formato do rosto com o corte de cabelo e a barba. A intenção é criar uma imagem que expressa melhor a personalidade de uma pessoa. Com esse método, o profissional sabe analisar o temperamento do seu cliente e o ajuda a definir o que deseja mostrar”, comenta o visagista Philip Hallawell, autor do livro Visagismo Integrado: Identidade, Estilo e Beleza (Ed. Senac).

E oferecer esse serviço pode ajudar a alavancar as suas vendas. “Estar à frente do nosso tempo antes era um desejo de alguns profissionais. Hoje é uma obrigação. Todos têm acesso a essas informações poderosas. E cabe a nós nos prepararmos com conhecimento diferenciado. Certamente o seu preço vai aumentar”, avalia o hairstylist e visagista Robson Trindade, do Red Team (SP).

O método aplicado é o mesmo tanto para homens quanto para mulheres, com a distinção de que nelas usa-se a maquiagem e neles, a barba. “Ela é um recurso incrível para ajustes do formato do rosto. Os bigodes colaboram em inúmeras correções, como aumentar ou diminuir o tamanho dos lábios. As costeletas alongam a face ou a valorizam. É importante lembrar ainda que a cor também é fundamental e fará toda a diferença no visual”, aposta Trindade.

Visagismo também para os homens

 

COMO É FEITO

Primeiro, o rosto é analisado em todas as suas linhas, formas e proporções. Também se observa o que é projetado ou retraído. “Todos esses elementos traduzem algo que as pessoas percebem inconscientemente, pois são símbolos universais”, explica Hallawell. Por exemplo, as linhas verticais são de força, enquanto as horizontais, de estabilidade.

As inclinadas expressam dinamismo e as curvas, suavidade. Projeção indica extroversão e retração, introversão. “Esse conjunto define o estilo. E isso se aplica a cabelo, barba, bigode e costeletas. Todo esse processo de percepção é emocional, não racional. O que explica por que a imagem afeta comportamento, autoestima e autoconfiança. O profissional também estabelece uma diretriz clara para seu trabalho e pode personalizar cada cliente sem necessidade de recorrer a padrões”, diz o visagista.

 

NA PRÁTICA

Entenda um pouco mais sobre os formatos de barba, costeletas e rosto:

 

BARBA

ASIÁTICA: com textura mais lisa, tem fios ressecados, quantidade média de pelos e o crescimento é reto e para fora. Permite o barbear cinco vezes por semana e deve-se usar creme pós-barba hidratante.

CAUCASIANA: de textura moderadamente seca, tem pelos encaracolados (que se curvam para baixo e aumentam a chance de foliculite). Recomenda-se cortar três vezes por semana e usar gel ou loção sem álcool.

NEGROIDE: em negros e mulatos, os fios nascem quase paralelos à pele, muitas vezes machucando a derme e encravando. O ideal é barbear uma vez por semana e usar loção ou gel para controlar a oleosidade.

 

COSTELETAS

CURTAS: medem até 1 cm da prega da orelha e são características de cortes clássicos. O estilo potencializa a forma do rosto ao deixar livre todo o ângulo mandibular.

MÉDIAS: com até 2 cm, são feitas em cortes clássicos de resultado mais jovem e atual. O comprimento também evidencia o rosto.

LARGAS E NATURAIS: chegam até o lóbulo, respeitando o nascimento natural da barba. São utilizadas em todos os tipos de corte e corrigem ligeiramente rostos maiores.

LONGAS E ESTREITAS: a medida também chega ao lóbulo, mas a largura reduz até o final. São perfeitas para cortes modernos e clássicos, pois dão amplitude à face fina.

DE BICO OU BOTA: comprimento ultrapassa o lóbulo e se caracteriza por uma linha mais ou menos diagonal. São utilizadas em cortes estilo retrô. Favorece a face larga e angulosa. “O modelo requer manutenção constante, pois perde a forma facilmente”, diz Robson Trindade.

 

TIPOS DE ROSTO

REDONDO: não tem ângulos definidos e a linha do queixo é bastante arredondada. “O ideal é fazer a barba mais triangular ou acentuar as linhas do maxilar para disfarçar. Recomendo também o cavanhaque quadrado e costeletas longas, pois deixam o rosto mais retilíneo e fino”, comenta o hairstylist Robson Trindade.

QUADRADO: tem laterais retas, ângulos bem delimitados, mandíbula forte, testa larga e maçãs e queixo largos. Amenize com linhas mais curvilíneas e arredondadas e disfarce com costeleta farta e bigode volumoso. “Quem deseja realçar deve deixar o cavanhaque triangular ou arredondado”, informa.

RETANGULAR: os ângulos s.o bem delimitados, com testa, maçãs e queixo na mesma proporção. “O ideal é manter os pelos baixos para não criar muito volume. Aposte em linhas verticais mais retas e acentuadas. Também é possível usar um cavanhaque quadrado e costeletas longas para ajudar na simetria, afinar e alongar”, comenta o hairstylist Fredy Emmuel, do Salão 1838 Jardim América (SP).

TRIANGULAR: o queixo é muito evidente. “Para disfarçar, indico barba cheia nas laterais, que adiciona certo peso e robustez à mandíbula. Não indico cavanhaques alongados ou volume em excesso”, completa.

 

Texto: Annamaria Aglio e Katia Deutner

Fotos: Shutterstock