Bruno Dantte é o novo embaixador de Redken

10/05/2019 | Redação

Cabeleireiro especialista em cachos e crespos passa a ser um dos porta-vozes da marca

Expert quando o assunto é cabelo cacheado e crespo, o cabeleireiro Bruno Dantte é o novo embaixador de Redken. Conhecido pelo seu trabalho com “cabelo real”, o hairstylist carioca é responsável pelos fios de famosas como Vanessa da Mata, Julia Konrad, Cintia Rosa, Guilhermina Libanio, Ivi Pizzott e Alice Milagres.

A novidade vem ainda com o lançamento de quatro novos leave-in da linha Curvaceous: CCC Spray, Wind Up, Spiral Lock e Curl Refiner. Os novos produtos contam com tecnologia exclusiva Curl Memory Complex, que traz a combinação de óleo de moringa para maciez, brilho e maleabilidade, cristais de açúcar, que traz definição e memória da forma, e filtros UV, para proteção da cor e de agressões externas.


A marca, que conta com outro especialista no assunto, o cabeleireiro Didier Sé, reforça ainda mais sua atuação com os fios encaracolados, marcando a parceria com a troca de conhecimento entre os profissionais. “Estou muito feliz, porque como embaixador da Redken, eu sei que tenho muito a acrescentar a marca, assim como eles acrescentarão muito ao meu trabalho”, conta Bruno, com exclusividade para a Cabelos&cia.

Confira a entrevista a seguir.

Como será a sua atuação como embaixador de Redken? Como a marca entrará nos atendimentos do seu salão?

Vou continuar focando nos cabelos naturais e no que eu chamo de cabelos reais, será um trabalho em conjunto, já que a Redken possui a linha Curvaceous, uma linha completa para a mulher ondulada, cacheada e crespa. Eu estou formulando tratamentos diferenciados do mercado no geral para oferecer no meu salão, principalmente usando essa linha. Além atuar em ensino, educação e dicas para que as pessoas aprendam a usar os seus cabelos naturais.

Na sua opinião, porque o Brasil, um país em que a maior parte da população tem cabelo cacheado e/ou crespo, tem poucos cabeleireiros especializados nesse nicho?

No Brasil, o cabelo cacheado remeteu por muitos anos a condições financeiras. Quando eu comecei esse trabalho há 10 anos, as pessoas falavam que eu era louco por trabalhar com esse público, já que elas só queriam trabalhar com clientes que tinham os fios alisados, o que era uma questão de status social.

Algumas marcas não davam atenção a esse publico também e não ofereciam produtos para atender esse tipo de cabelo. Naquela época tinham poucas informações sobre o tema, não se falava em cursos para cabelos cacheados e crespos. Sem educação e técnica, é difícil ter confiança para falar do tema e se arriscar com esse público.

Eu sempre quis fazer da minha profissão uma forma de conscientizar as pessoas, ajudar na autoestima das mulheres! Quando a Redken fez o convite e me trouxe essa linha incrível que conversa com mulheres donas de fios ondulados, cacheados e crespos, fiquei muito feliz por fazer parte desta história. Temos essa sintonia de acreditar no empoderamento e aceitação desse público.

O empoderamento do cabelo natural e a transição do liso artificial para os cachos ainda tem uma história recente na beleza. Ao seu ver, qual será a próxima revolução no universo dos cacheados e crespos?

Eu acredito que estamos no inicio de uma revolução. E é engraçado porque eu sempre falei que eu queria causar uma revolução capilar. É por isso que eu foco o meu trabalho na conscientização das mulheres, fazer com que elas aumentem sua autoestima, amem os seus cabelos e criem uma identidade. Quando você coloca o seu cabelo como sua identidade, como a história de quem você é e de onde veio, isso traz ainda mais valor. Essa revolução está acontecendo e aos poucos os cabeleireiros precisam buscar profissionalização no tema e se adaptar para atender a esse público.

O foco do trabalho de Bruno é a valorização do cabelo natural

Por que cada tipo de cacho é tão diferente um do outro e precisa de cuidados especiais?

Cada cabelo é diferente por questões de genética. Não existe uma pessoa com um cabelo idêntico ao outro, mas já existem ferramentas e produtos que atendem a maior parte desses cabelos, é só você adaptar ao seu gosto. Tem algumas clientes que gostam de volume, outras de fios longos ou curtos, definidos ou não definidos. Temos texturas, comprimentos, volume e porosidades diferentes. Então, por isso, a importância de entender cada cabelo e cada personalidade e gosto da cliente.

Como expert no assunto, você pode dar 3 dicas (ou mais) essenciais para um cabeleireiro trabalhar com cachos e crespos?

Hoje para um profissional trabalhar com um cabelo cacheado, ele precisa se desprender de tudo o que é cultural na profissão. Quando eu comecei a trabalhar com esse mercado, a primeira coisa que tive que fazer foi soltar o pente e começar a cortar o cabelo a seco para entender a textura e volume conforme eu ia cortando. O cabeleireiro precisa respeitar a identidade da cliente. Ouvir o que ela quer. Ele não pode querer padronizar uma cliente, tem que melhorar o cabelo que ela já tem!

Quais são os principais erros que os cabeleireiros cometem ao trabalhar com cabelos crespos e cacheados?

O maior erro é não entender o mercado e essa cliente. Precisa entender que ela provavelmente já tem vários traumas com experiências anteriores, varias pessoas já tentaram mexer naquele cabelo e não de certo. Além disso, tem toda a carga psicológica e o convívio com pessoas com cabelos lisos, na infância, adolescência e até hoje. Tem que entender as situações que ela já passou no dia a dia com o seu cabelo ou durante as férias na praia, na piscina, no inverno… Precisa saber ouvir. A cadeira é um lugar pra ela sentar, se abrir e expor a sua ideia. Minha postura não é só ter técnica, mas também conversar com a cliente.