Coworking de beleza dos EUA abre primeira unidade no Brasil

23/01/2019 | Redação

Sola Salon Studios inaugura espaço de 460 m² com 22 estúdios no Rio de Janeiro e pretende abrir mais 50 nos próximos 10 anos

Criado há 15 nos Estados Unidos, o coworking de beleza Sola Salon Studios abre sua primeira unidade no Brasil baseada no conceito de espaço compartilhado que permite que cabeleireiros, barbeiros, manicures, esteticistas, etc. aluguem um estúdio pronto, sem precisar investir na montagem do salão. E o melhor: sem precisar se preocupar em administrá-lo, já que o negócio oferece também suporte financeiro, organizacional educacional e gestão.

A primeira unidade do Sola Salon Studios conta com 22 espaços individuais para cabeleireiros, barbeiros, manicures e pedicures, esteticistas, maquiadores, etc.

A unidade inaugurada há um mês, no Barra Shopping, no Rio de Janeiro, conta com 22 estúdios, com 44 cadeiras e 23 lavatórios, no total. Por um aluguel fixo a partir de R$ 5.800, o profissional conta com toda a estrutura para seu negócio: água, luz, recepção, limpeza, um café para as clientes e uma cozinha para os funcionários.

No valor do aluguel, o profissional conta com diversas facilidades: água, luz, recepção, limpeza, um café para as clientes e uma cozinha para os funcionários

Em parceria com o CEO Randall Clark, do Sola Salon Studios internacional, o empresário brasileiro Rodrigo Miranda aposta no formato disruptivo de negócio. “Eu costumava me indagar o fato do por que ser tão difícil do profissional ter seu próprio salão de beleza no país onde vive, se o Brasil possuía tantos potenciais, como ser um dos maiores mercados de beleza do mundo e o segundo mercado capilar. Essa pergunta me levou a estudar alternativas, até que cheguei ao Sola Salon Studios”, explica.

O hairstylist Alex Reis em seu estúdio personalizado na unidade do Barra Shopping, no Rio de Janeiro

Nos Estados Unidos, o coworking de beleza conta com mais de 10 mil profissionais, entre eles Jonathan Van Ness, estrela do programa Queer Eye for the Straight Guy, e o brasileiro Filipe Ramos, que possui um dos estúdios mais caros em Beverly Hills, Los Angeles.

O plano de expansão inclui também a inauguração da primeira unidade na Europa ainda este ano.

Fotos Ari Kaye e Daniel Perpétuo